Feeds:
Artigos
Comentários

Sementes

Sentava-se na pedra fria do caminho abandonado.

Só ele andava por ali, entre bichos e sementes,

que estranhavam a sua presença.

Sentia uma alma imensa,

naquela solidão de gente,

pelo meio dos bichos.

Como eles o compreendiam…

Como ele os compreendia…

E aquela admiração mútua foi crescendo

na frieza das pedras e nos soluços

que ecoavam de mansinho pelo caminho.

Passaram a ser a companhia

uns dos outros.

O homem ainda tentou mudar

de residência. Não lhe passaram

a licença…Não era ali uma zona

habitacional.

Não lhe tiraram a sorte…arranjou

um biscate daqueles…e fez-se à demanda

naquela brusquidão dos dias…

Só sossegava sentado na pedra fria

daquele caminho abandonado.

Tirava sementes daqui e dali.

Acrescentava algumas…

Só para ver o que dali se adivinhava.

Se os anos passarm…ele nem deu por nada!

Definir algo como as férias numa só palavra talvez seja algo fácil, até mesmo banal.Muitas coisas virão à cabeça, normalmente coisas bastante positivas, como prova de um tempo que se espera durante um longo ano de trabalho e de cansaço. As férias são tempo de revigorar, de retemperar, de espairecer…E não pensamos nas férias como o momento para algo de desagradável acontecer…Pois é, mas comigo, nestas férias, os acontecimentos foram sucedendo, quase sem pausas! Vários cenários me surgiram e não é que a resposta a esses problemas foram cabais? Até dei por mim a perguntar-me se me estava a conhecer! Com tal postura, hoje posso afirmar que talvez tenha tido o meu melhor período de férias de sempre! A idade dá-nos maturidade para enfrentar os obstáculos e sabedoria para suportar os maus momentos, transformando-os em coisas positivas!É com este lema que fui observando também as coisas menos boas. Como pedagogo e como pai, vou tentando incutir as mais elementares regras do bom senso e do civismo, mas há uma luta a travar com mentalidades instaladas, mesquinhas e invejosas.
O primeiro-ministro falava há tempos de deixarmos de ser piegas, não discordo totalmente…Ser piegas é uma condição pouco abonatória para quem passa a vida a reclamar, mas depois não faz nada por mudar o estado das coisas. As pessoas reclamam só porque sim! Veja-se o caso dos combustíveis, defini para mim mesmo que ia queimar os quilómetros numa contenção de despesa, ou seja, ir o mais devagar que pudesse, se as estradas e o trânsito o permitissem. Posso dizer que cumpri a missão, mas a quantidade de carros que me ultrapassou a uma velocidade para lá dos limites fazem pensar. Ninguém é moralista nesta matéria, muito menos eu que já fui autuado algumas vezes, mas 20 quilómetros à hora já fazem a diferença, em qualquer circunstância!E pelo que vi, não é ao ritmo da poupança que as pessoas vão. Vão, sim, stressadas, a prevaricar, a ultrapassar, a desrespeitar o próximo (próximo em todos os sentidos…), em constante violação das regras, numa condução à campeão e com cronómetro!Enfim, a mentalidade que teima em não mudar!Vi de tudo, velhos e novos…Paragens em fila, abertura de portas, deixar o volante para se ir urinar (deixando os outros à espera), pendurar-se nas portas, ultrapassagens no limite, em dupla contínua…Sinceramente, estrada a ferro e fogo! Depois, cada vez mais comprovada a má situação das estradas e a débil sinalização!Neste tema, vejo as situações piorarem…Ah! E não faltam auto-estradas às moscas como que a quererem dizer que os elefantes brancos estão a prosperar no nosso país!
Pelo sul, mais estrangeiros e menos portugueses. Estrangeiros com poder de compra e portugueses a admirar, como não seria de estranhar!De registar as boas condições das praias, contrastando com algum desleixo aqui para o norte, não querendo ser injusto, claro, com autarquias que fazem pela vida!Também os preços de serviços básicos estão em valores normais contrastando com os valores praticados pelos apoios de praia aqui pelo norte. As coisas estão complicada, mas não é pressionando que se chega ao lucro. Dantes, pressionava-se para obter lucro fácil. Agora pressiona-se para não fechar…É o estada actual das coisas!
No que toca a gastronomia, uma boa refeição na Adega 25 de Abril em Beja e um excelente repasto no Primo dos Caracóis em Olhão! Excelente mesa, excelente companhia, excelente preço!Nada mais se pode desejar…Conclusão? A regressar um dia!
Relativamente ao descanso, muita praia, cuidada e limpa, com sinal mais!Aqui pelo norte, alguma falta de limpeza e muita falta de civismo das pessoas, deixam lixo e uma coisa que me repugna, as famosas beatas…
Por outro lado, tenho abusado dos piqueniques. Uma solução para enfrentar a crise, que nos oferece descanso e um óptimo tempo passado em família!Sem palavras!E são muitas as famílias que recorrem a este passatempo!Pena que muitas, na senda da falta de civismo, reservem mesas em espaço público, aparecendo à hora que bem lhes apetece, muito naturalmente chegando, como se não se passasse nada!Infelizmente, há disto, mas há quem consiga desequilibrar a balança! E ainda bem!

Vou aguardar para ver o aclamado documento (novo estatuto do aluno) aprovado em Conselho de Ministros pela equipa que andou longo tempo na oposição a acusar os outros que faziam tudo às escondidas…Estamos conversados, há coisas que a moralidade não consegue mudar…E os vícios de forma não são iguais aos vícios de conteúdo!Mas se têm uns e outros, não podemos esperar grande coisa de gente assim…Comentarei no devido tempo! Agora, deixo este lamento, de termos técnicos de secretária, sem a mínima noção da realidade a debitarem, de forma obsessiva, sem interrupções, as mais diversas leis e reformas, desprovidas de qualquer racionalidade! Uns e outros, tão iguais…É assim nesta tão jovem democracia, que os capitães de Abril não adivinhavam…Paciência ao povo que trabalha para enviar para os cofres do estado a simbólica quantia de 70% do seu rendimento anual!

70% do nosso dinheiro vai para impostos.

Bruxelas quer baixar salários e cortar no subsídio de desemprego.

Passado um ano de governação à moda Passos Coelho, serve o presente texto para desmistificar a ideia “Sou pela Merkel”, convencendo freneticamente que “Sou o dono de um povo fantástico! “…Claro que é mais fácil ter um povo fantástico a quem se pede sacrifícios, ter funcionários públicos amarrados ao colete de forças que se lhes foi imposto, nunca sugerido…É muito fácil dar palavras mansas, custe o que custar! Depende…A cultura PPP veio para ficar e, afinal, a coragem e a transparência, hoje, não passam de mitos! Como é um mito essa ideia peregrina de que se recupera um país abatendo o poder de compra, abatendo o emprego, não estimulando o investimento! Podem pedir propostas, à vontade…Calculo que os economistas não saibam, eles próprios a fórmula! Há sempre o contexto macroeconómico para justificar qualquer falha, qualquer conta mal feita ou que não acerta…Pedir a quem tem dinheiro para investir? Não que esses não querem correr riscos…Os únicos que se podem lançar, para o ditoso primeiro-ministro, são os desempregados que têm aqui uma nova oportunidade de mudar de vida, bem como os professores (não se fecham os cursos no ensino superior, nem se diz que o país já não pode formar mais) que devem emigrar se quiserem trabalhar…Caso contrário, já nem uma caixa de supermercado, nem para uns, nem para outros!Temos um país metido em causas secretas, a engalanar de um lado, a desertificar do outro, a dirigir-se rapidamente para o lodo, enquanto os responsáveis por isto tudo continuam fumando charutos e a frequentar restaurantes Michelin e hóteis 5 estrelas!

Está quase!

Está quase aí o fim de semana!

De mão estendida!

Temos um país de mão estendida lá fora, moribundo, caído no fundo, lamacento e derrotado! Dizem que se levantará…Mas não sabem quando! Nem sabem por quanto tempo vão estar as mãos estendidas! Sabem que vai ser a todo o custo! A todo o custo para os mesmos! Porque eles não sabem o que é ser justo ou injusto!

Cinco empresas públicas mantêm salários dos gestores em 2012.

Apenas sabem que não sabem como combater o poder de quem tem o poder! Sendo assim, sobra o impotente, que sendo imponente na sua nobre profissão, leva de tudo e de todos, porque, não conhecendo a acidez do seu verdadeiro trabalho, ainda assim encantador, vão jorrando invejas nutridas e desenvolvidas nas mais puras frustrações! Infelizmente é assim! É o que faz nascer no país errado! Um país que não luta pelas melhores condições! Não! É um país que se satisfaz porque o outro não tem, já que ele também não tem!

Governo só dá tolerância de ponto a 24 de Dezembro.

Esperemos que se lembrem que este atoleiro, quando espremido, não terá mais frutos para dar! E não venham, depois, pedir aos mesmos, os sacrifícios de sempre, no mínimo, levarão com a determinação que tem andado escondida a troco sabe-se lá do quê!

Nem precisa de confirmar…

Não confirma, nem desmente…Se não pertencesse, desmentia…logo, é fácil de perceber que…pertence!E pode pertencer, desistir, fugir do país, emigrar,enfim…Tem mesmo, como deputado, de defender o país…mas já custa muito descobrir algum que jogue limpo neste tipo de assuntos…É sempre com subterfúgios e labirintos…Uma miséria…e mais do mesmo!

PSD nega alteração ao relatório sobre secretas.