Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Ecologia’

Hora do planeta.

 

Apague a luz e ajude o planeta.

Read Full Post »

E responsáveis?

Andamos nisto há anos e não há ninguém que dê um murro na mesa. Sinceramente, gostaria de ver um PR assumir plenamente esse papel. Até lá, e porque não conseguimos mudar mentalidades em uma ou duas décadas, vamos assistindo impávidos e serenos ao desabar da dignidade patriótica…

Tribunal de Contas aponta atrasos e falhas na política de gestão da água.

Read Full Post »

Esmiuçando o ambiente.

O Protocolo de Quioto é claríssimo nos fundamentos em que se baseia e nos objectivos a que se propõe atingir.Pela via mais simples e,talvez, de maior eficácia, indico o que está escrito no Wikipédia.

“Constitui-se no protocolo de um tratado internacional com compromissos mais rígidos para a redução da emissão dos gases que agravam o efeito estufa, considerados, de acordo com a maioria das investigações científicas, como causa antropogênicas do aquecimento global.”

O protocolo foi, como se sabe, muito contestado pelos EUA porque obriga a uma série de restrições que impedem uma certa actividade económica. O que é certo é que há muitos países que não vão cumprindo muitas das metas traçadas. O que é certo é que a urgência de agir começa a ultrapassar a urgência de planificar. No Furadouro, com o mar a avançar, a incapacidade de resolver obriga a ajuda estrangeira.Reina a insatisfação, é o que se afirma…

Especialistas estrangeiros chamados a estudar erosão costeira no concelho de Ovar.

Depois temos isto.

Deposição de lixo em aterros desceu na UE mas subiu em Portugal.

A notícia encerra uma série de contradições. É positivo, mas que lá para 2012 haverá uma redução de 20 por cento que irá estar de acordo com a legislação europeia. Aliás, segundo a CE os resultados de Portugal não são satisfatórios porque aumentou a proporção de lixo enviado para aterros sanitários. Isto se considerarmos que temos de melhorar na reciclagem, por exemplo, nem é bom pensar…

Depois há isto.Uma boa notícia, sem dúvida, mas que peca por tardia a intervenção na ETAR. Mas há muito por fazer. Por exemplo, quem viajar para Olhão ficará encantado com o que vai parar à Ria Formosa. O que é certo é que faz pensar, em pleno século XXI, ainda existirem situações deste género.

Esgotos de 120 mil casas de Lisboa deixaram de ser lançados ao Tejo.

Como em tudo na vida há cépticos quanto ao Protocolo porque preconizam a dificuldade em chegar aos números acordados. Os EUA e a Austrália seguiram a via do “carbon sequestration” que consiste em criar reservas de carbono.Para isso é necessário que haja floresta para o produzir. Mas muitos países teimam em devastar as florestas. Como se vê, o poder económico é mais uma das pragas que dá origem ao aquecimento global. O mundo acordou para o tema, mas ainda está um pouco sonolento. Será que vai recuperar o planeta?

A redução dessas emissões deverá acontecer em várias actividades económicas. O protocolo estimula os países signatários a cooperarem entre si, através de algumas acções básicas:
  • Reformar os sectores de energia e transportes;
  • Promover o uso de fontes energéticas renováveis;
  • Eliminar mecanismos financeiros e de mercado inapropriados aos fins da Convenção;
  • Limitar as emissões de metano no gerenciamento de resíduos e dos sistemas energéticos;
  • Proteger florestas e outros sumidouros de carbono.
Se o Protocolo de Quioto for implementado com sucesso, estima-se que a temperatura global reduza entre 1,4°C e 5,8 °C até 2100, entretanto, isto dependerá muito das negociações pós período 2008/2012, pois há comunidades científicas que afirmam categoricamente que a meta de redução de 5% em relação aos níveis de 1990 é insuficiente para a mitigação do aquecimento global.

Acredito que seja muito difícil atingir objectivos de grande monta, mas o Protocolo foi assinado por 175 países e, com ele, assumiram que o mundo está a ser chamado a agir perante as alterações climáticas, originada por um aquecimento global, que está a destruir a biodiversidade e a mudar o próprio planeta. Disto não tenho dúvidas!

Read Full Post »

Para os mais atentos, sabe-se que algo tem de ser feito e não chega nem metade do que se está a tentar fazer.Para além das mentalidades culturais dos países do norte, nada mais se vê, a não ser pequenas tentativas e dois terços do mundo a destruir o esforço do outro terço. Quem é leigo na matéria, mas gosta de estudar este tema, sabe perfeitamente que a evolução do nosso planeta foi feito à custa de muitas variações climáticas. Muitas com razões palpáveis, outras não tiveram justificação e muitos estudiosos ainda buscam as suas explicações.A evolução da nossa espécie acompanha e muito os destinos do nosso mundo. Assim como temos esta dádiva, tudo faremos para a destruir e fazer, talvez, a transição para outros cenários. Ficarão em causa as futuras gerações. E que fazemos?Assobiamos para o lado!!!Há gestos simples, mas que o próprio comodismo impede de realizar. É como deixar o carro à porta e o saco do lixo cheio de vidro e plástico…Atitudes…

O mar avança, o degelo também, em cordilheiras e nos extremos do planeta.A temperatura média continua a subir. A natureza é mais forte e há cenários raros que podem passar para este lado do Atlântico.

A “verdade inconveniente” é um documentário que aborda o assunto e chama a atenção para esta problemática. O documentário é bastante conhecido, mas para quem quiser, deixo aqui a ligação.

Alterações climáticas podem estar na origem da ascensão e queda do Império Romano.

Read Full Post »