Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Poesia’

Agora que me foges em grãos de areia

Por entre os dedos sujos de lama,

Pelos traços de uma vida que me chama,

Através do sangue quente que incha a veia,

Vou sobrevivendo ao horizonte…

Vejo que aqui o tempo se incendeia

De calma, harmonia, pouca fama.

Neste chão cheio de ti que me inflama,

Numa súbita arritmia de maré cheia

Que se torna tão doce como fonte!

Eu que já estava preso nessa teia,

Viúva negra, logo transformada em cama…

Talvez faça de ti minha dama,

Talvez no meu casulo, sejas sereia,

Sobrevivendo ao horizonte…

Anúncios

Read Full Post »

Hoje?Só isto…

Os bichos

São hipócritas, sisudos, frustrados,

canalha, perversos, incoerentes,

arrogantes, estúpidos, ressabiados,

escumalha, energúmenos, imprudentes…

São narcisistas, capitalistas convictos,

prepotentes, invejosos deslocados,

julgam-se grandes, invictos

deprimentes, mal educados…

São convencidos, loucos, atrasados

no tempo e na mente, mas não assumem…

São oportunistas, interesseiros inveterados,

não partilham e tudo consomem…

São a praga desde sempre na sociedade.

Olham tudo e cobiçam tudo o que é alheio.

São a praga desde sempre na sociedade.

São altivos e têm pose por receio.

Receio do bicho, o mais minúsculo que existe.

O bicho que ninguém chegará a conhecer!

O bicho, ó indecente, indigente de espírito,

que toda a vida fingiste,

fará de ti cinza para que nada possas ser…

E o bicho, no último suspiro da partida,

lembrar-te-á que foste nada também na vida.

Read Full Post »

À música certa.

Na frescura da noite

aqueces-me a alma e o coração

a lua vai alta

nada nos falta

nem as estrelas mais cintilantes

nem a sintonia do amor.

É hoje

na noite mais esperada

um bar, um copo, um beijo

a dança, sorrisos e uma busca desenfreada

pelo sublime aproveitamento desses momentos!

INXS- fazem parte das minhas memórias

Read Full Post »

It’s a hard life.

Num mundo que não esmorece,

em que a violência se aumenta e se alimenta

da perversão de mentes humanas não seguras de si.

Num mundo que não desperta

e que adormece na atmosfera obscura

da falta de respeito e de valores…

Num mundo em definita autodestruição,

em que os mais inteligentes no seu habitat 

foram acorrentados,

chacinados ou aprisionados…

outros sobrevivem em janelas com barras

e o visitante aprecia contornando o que é lógico.

Chamam-lhes jardim zoológico,

parque natural ou reserva natural…

Sei lá!Alguém acordará desse profundo sono?

Alguém se lembrará da camada de ozono?

Alguém dará o primeiro grito?

Alguém evitará o interno meteorito ?

Alguém evitará, ainda que prometa,

a implosão do nosso planeta?

Assim, se vivemos de esperanças,

deixemos o poder às crianças!

Aprendamos que, ao fundo de qualquer vigência,

a lei que mais comove resulta da infantil inocência!

Aceitemos, aceitemos a mais pura verdade:

Não temos qualquer capacidade!

Acordaremos do profundo sono?

Conseguiremos mudar o mundo?

Queen!Agora e sempre!

Read Full Post »

Infinitamente olhando…

Para quem nasceu perto do mar

é impossível resistir,

viver,

existir,

relaxar,

pensar

que se pode estar longe dele…

É uma certeza comprovada,

que não se é nada,

que cada onda vem ancorada

num ténue movimento

da pequenez desta vida!

Para quem nasceu perto do mar,

sabendo dos perigos

que ele representa,

sabe também que no mar

há uma harmonia singular,

uma dependência salutar

que ninguém pretende perder!

Read Full Post »

É assim.

É assim, vamos andando,

pé ante pé, o tacho ferve,

uma palmadinha nas costas

e um “porreiro pá” ao de leve…

Não sei se é para rir, se para chorar.

Dizem que o povo mais ordena.

Mas o povo tudo pode mudar

quando a alma não é pequena…

Povo que lavas no rio

com gotas do teu suor

fizeram filão do teu fio

e esmagaram teu Bojador!

Trataram da própria vida,

deixaram-te ao abandono,

abandonaram-te na corrida,

puseram-te num profundo sono.

E o amanhã, assim sem se saber,

será feito de sacrifício e dor…

E farás tudo para sobreviver

transformando esse grande Adamastor!

Eles não baixarão os braços,

o povo também não…

Porque virão para eles os fracassos,

as frustrações e a resignação!

Maioria das entidades públicas não apresenta contas

Read Full Post »

À música certa.

O que somos?

Reduzidos a pó num futuro

Reduzidos à fragilidade diante de um muro

Influenciados

Desvairados

Inquietos e impossibilitados

Calados diante da ganância

Sossegados perante o egoísmo

Assoberbados pelos actos de heroísmo

Acomodados a uma qualquer esperança

que se diz que morre depois de todos

Selados pela opulência

Revoltados sem paciência

Extraditados do direito de viver…

The Killers (Human)

Read Full Post »

Older Posts »